quarta-feira, 15 de julho de 2009

Pra pensar...

A obesidade atrapalha a muita gente, pode causar transtornos à saúde, ao psicológico, enfim... toda a pessoa obesa sabe ou ao menos deveria saber qual a sua situação frente ao peso acima do normal...
Mas e quando pega o lado psicológico ou afetivo do ser? É uma pergunta que me faço, já que embora eu esteja bem acima do meu peso normal encaro numa boa tudo. Estou gorda, é fato. Se a saúde fosse um problema, já teria emagrecido... isso é certo. (Ou ao menos encararia tudo com mais rigor... dieta, RA, cirurgia, ou o que fosse preciso!!!)

Só me ponho no lugar de mulheres com menor idade ou a mesma minha, que enfrentam dificuldades em casa, na família, com marido e filhos por ser a "Mãe gorda" ou a "Feiona" (Fiona) da casa... Credo gente!!!
Como podem filhos e marido, ou namorado, sei lá, interferir no amor que uma de nós possa ter por si mesma... o que mais importa ou deveria importar é o EU interior e o amor-próprio, não?

Se não se gosta da gente como se está, é um segundo assunto, mas não creio jamais que uma mulher por ser gordinha não deva ter qualidades e outras tantas atribuições que encantem as pessoas que não somente o físico. Este deveria influenciar apenas quanto à saúde, e até mesmo para que a pessoa pudesse se sentir melhor quanto a aparência, mas focar a vida nos modismos sociais e culturais por vezes impostos, é loucura... Tanta mulher cheinha e bonita e quanta magrinha problemática!!!!

E na família? Por que mães ainda permitem que os próprios filhos e marido a tratem com menosprezo por estar acima do peso? Por que tanta falta de insentivo e carinho para com os seus?

As pessoas estão com um problema ainda maior a enfrentar que a própria obesidade alheia: a falta de educação...

Uma amiga desabafou seus problemas com a casa, a família e as atitudes destes para com ela e fiquei pasma!!! Pois nós é que educamos nossas crianças, nós também é que devemos mostrar não só em casa, como no trabalho, na rua que não somos diferentes...
"Quem se sente diferente é tratado como diferente", por isso está mais que na hora de todos os gordinhos buscarem sim a meta que cada um se atribui quanto ao peso ou à vida, mas também lembrar que a discriminação começa além de tudo em casa, mais precisamente na frente do espelho...





O ESPELHO NÃO É INIMIGO, é sim O MELHOR AMIGO que se pode ter, pois ele nos mostra o que devemos enxergar, afim de melhorar o que não está bom e evidenciar aquilo que temos de melhor em nós!!!


Sou feliz por ter uma família linda e unida!!! Nós aqui em casa, eu, meu marido e meus filhos procuramos nos apoiar, estar junto e contar um com os outros, sempre levando em conta o sentimento um dos outros. Afinal, quando os problemas surgem é com a família que a maioria irá contar...


Deixo meu carinho a cada um!!!

Nenhum comentário: